Dieta Metabólica em poucas palavras

A primeira versão da dieta do Dr. Mauro Di Pasquale foi a “Anabolic Diet”.

Só depois é que criou a versão tal como é conhecida actualmente: “The Metabolic Diet”.

É uma dieta com alto teor de gordura e de proteína e baixo teor de hidratos de carbono, na qual há um período de recarga de carboidratos (geralmente nos fins de semana), à semelhança da “rebounding diet” do Dr. Zumpano, do final dos anos 70.

Quando introduzida a dieta, no início dos anos 90, os atletas de força explosiva e fisiculturistas passaram a manter dietas com ciclos semanais, em que comiam sempre muita quantidade de proteína, aumentavam a ingestão de gordura e baixavam a de hidratos de carbono durante toda a semana, sendo que nos fins de semana “faziam carga” de carboidratos (quantidades não restritas).

O primeiro passo desta dieta é mudar o metabolismo de modo a que a queima de gordura seja a principal fonte de combustível. A forma de fazê-lo é, como já explicado acima, limitar a ingestão de carboidratos e consumir grande quantidade de proteína e gordura. No entanto, nesta fase não é relevante o controle calórico da alimentação.

Este período dura, normalmente, de 2 a 3 semanas e é bastante exigente. Aqui você será capaz de analisar se consegue efectivamente lidar bem com essas mudanças alimentares.

O segundo passo, uma vez que o corpo já se encontra adaptado, é mudar a ingestão calórica de acordo com o objectivo. Ou seja, para aumentar o peso e a massa muscular, aumenta-se o consumo calórico à custa de proteínas e gorduras. Para eliminar gordura corporal, diminui-se o consumo calórico, reduzindo o consumo de gordura e mantendo alta a ingestão de proteínas.

A dieta metabólica tem três benefícios principais:

  1. estimula o metabolismo para queimar gordura como principal fonte energética, em vez dos hidratos de carbono;
  2. mantém a queima de gordura mesmo quando se diminui a ingestão calórica, para que seja essa a principal fonte de energia, ao invés do glicogénio ou de proteínas musculares;
  3. poupa e mantém a proteína no corpo, permitindo-lhe aumentar a massa muscular.

Durante a semana, quando consumimos muita proteína e gordura e poucos hidratos de carbono – estes últimos, grandes estimulantes da produção de insulina pelo pâncreas -, os níveis desta hormona mantêm-se razoáveis e estabilizados, sem flutuações bruscas, e a secreção de GH aumenta.

A GH (hormona de crescimento), além de estimular as condições necessárias para melhor definir o corpo, também induz as células a usarem mais gordura em vez de carboidratos para obtenção de energia. Ela é extremamente importante por ser a responsável pelo aumento da síntese proteica e por proteger o organismo da depleção muscular.

Quanto à insulina, na verdade, não é uma inimiga a abater no nosso organismo, a menos que se torne ineficaz ou cronicamente alta. Ela é um anabolizante e, desde que nos níveis normais, trabalha muito bem juntamente com a testosterona e a hormona de crescimento.

2 comentários a “Dieta Metabólica em poucas palavras

  1. Pingback: Cereais! Serão assim tão importantes? | Daily Personal Trainers

  2. Pingback: O meu mês de dieta metabólica… | Daily Personal Trainers

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s